Nikola Tesla, conversando com os Planetas…

Deixe o futuro dizer a verdade, e avaliar cada um de acordo com seus trabalhos e suas conquistas.~Nikola Tesla~
Embora Nikola Tesla, no início de sua carreira, foi responsável por alguns brilhantes trabalhos em pesquisa elétrica, nos últimos anos de sua vida, seus projetos eram mais especulativos e considerados “de outro mundo”. Em particular, suas ideias sobre transmissões de longa distância eram bastante vagas, e pareciam ter sido baseadas em teorias sobre a condução e indução elétrica, e não transmissão de rádio, que utiliza a radiação eletromagnética. Em todo o caso, apesar de sua promessa de “em breve converter os descrentes”, muito do que ele falou nunca foi claramente explicado ou demonstrado funcionar realmente.
Collier Weekly, 09 de fevereiro de 1901, página 4-5:
Nikola Tesla, conversando com os Planetas

NOTA DO EDITORO senhor Nikola Tesla conseguiu alguns resultados maravilhosos em descobertas elétricas. Agora, com o início do novo século, ele anuncia uma conquista que vai surpreender todo o universo, e que eclipsará o sonho mais louco do cientista visionário. Ele recebeu uma comunicação, afirma ele, vinda do grande vazio do espaço: um chamado dos habitantes de Marte ou Vênus, ou algum outro planeta irmão! E, além disso, observou que cientistas como Sir Norman Lockyer, estão dispostos a concordar com ele em suas deduções surpreendentes. 

O Sr. Tesla não só descobriu muitos princípios importantes, mas a maioria de suas invenções estão em uso prático: nomeando, por exemplo, as forças titânicas das Cataratas de Niágara, e a descoberta de uma nova luz por meio de um tubo de vácuo. Ele próprio declara que resolveu o problema de telegrafar sem fios ou condutores artificiais de qualquer tipo, utilizando a terra como meio. Por meio deste princípio, ele espera ser capaz de enviar mensagens sob o oceano, bem como a qualquer distância na superfície terrestre. A comunicação interplanetária interessou-o por anos, e ele não vê nenhuma razão pela qual não deve ser em breve, encurtada a distância de se falar com Marte ou outros mundos do sistema solar que possam ter seres inteligentes. 

A pedido da Collier’s Weekly, o Sr. Tesla apresenta em anexo uma declaração franca sobre o que ele espera realizar e estabelecer a comunicação com os planetas.
 
nikola (1)A ideia de se comunicar com os habitantes de outros mundos é antiga. Mas por anos, tem sido considerada apenas um sonho de um poeta, sempre irrealizável. E com a invenção e aperfeiçoamento do telescópio e o conhecimento cada vez maior dos céu, sua influência sobre nossa imaginação foi aumentando, e as realizações científicas durante a última parte do século XIX, juntamente com o desenvolvimento da tendência para o natureza ideal de Goethe, intensificou-a a tal ponto que parece como se estivesse destinado a se tornar a ideia dominante do século que acaba de começar. O desejo de conhecer algo dos nossos vizinhos nas profundezas imensas de espaço não emerge da curiosidade nem de sede de conhecimento, mas a partir de uma causa mais profunda, e um sentimento firmemente enraizado no coração de cada ser humano capaz de pensar em tudo.

De onde, então, ela vem? Quem sabe? Quem pode atribuir limites para a sutileza das influências da natureza? Talvez, se pudéssemos perceber claramente todo o mecanismo do espetáculo glorioso que está continuamente se desdobrando diante de nós, poderíamos, também, traçar esse desejo de sua origem distante, e encontrá-lo nas vibrações dolorosas da terra que começou quando ele separou de seu pai celestial. Mas neste momento de razão, não é surpreendente encontrar pessoas que zombam o próprio pensamento de estabelecer comunicação com um planeta. Em primeiro lugar, o argumento é feito de que existe apenas uma pequena probabilidade de outros planetas serem habitados. Esse argumento nunca me atraiu. No sistema solar, parece haver apenas dois planetas – Vênus e Marte – capazes de sustentar a vida como a nossa, mas isso não significa que pode não haver em todos eles outras formas de vida. Processos químicos podem ser mantidos sem o auxílio de oxigênio, e ainda é uma questão de saber se os processos químicos são absolutamente necessários para o sustento dos seres. Minha ideia é que o desenvolvimento da vida deve conduzir as formas de existência que serão possíveis sem alimento e que não serão algemados pelas consequentes limitações. Por que um ser vivo não ser capaz de obter toda a energia de que necessita para o desempenho das suas funções vitais do meio ambiente, em vez de consumir alimentos, por um processo complicado, a energia de combinações químicas para sustentação da vida energia? Se houvesse tais seres em um dos planetas, não sabemos quase nada sobre eles. Também não é necessário ir tão longe em nossas premissas, pois podemos facilmente conceber a ideia que, no mesmo grau que a atmosfera diminui de densidade, a umidade desaparece e o planeta congela, a vida orgânica também pode sofrer modificações correspondentes, levando finalmente a formas que, de acordo com nossas ideias atuais da vida, são impossíveis. Admito, é claro, que no caso de haver uma súbita catástrofe, qualquer tipo dos processos vitais, podem acontecer; mas se a mudança, não importa quão grande ela seja, deve ser gradual e longa, de modo que o resultado final possa ser inteligentemente previsto, não posso deixar de pensar que os seres racionais ainda iriam encontrar meios de existência. Eles iriam se adaptar ao seu ambiente em constante mudança. Então, eu acho que é bastante possível que, em um lugar congelado, como dizem que a Lua deva ser, os seres inteligentes podem ainda habitar, em seu interior, se não em sua superfície.

Sinalização à 100 milhões de milhas!….

Neste momento, argumenta-se que é além do poder humano e criatividade transmitir sinais para as distâncias quase inconcebíveis de cinquenta milhões ou cem milhões milhas. Este pode ter sido um argumento válido anteriormente. Não é assim agora. A maioria dos que estão entusiasmados sobre o assunto da comunicação interplanetária, repousava sua fé no raio-luz como o melhor meio possível de tal comunicação. É verdade que as ondas de luz, devido à sua imensa rapidez da sucessão, pode penetrar o espaço mais facilmente do que ondas menos rápidas, mas uma consideração simples irá mostrar que, por meio deles uma troca de sinais entre esta Terra e seus companheiros no sistema solar é, pelo menos agora, impossível. A título de ilustração, vamos supor que uma milha quadrada da superfície da Terra – a menor área que poderá, eventualmente, estar dentro do alcance da melhor visão telescópica de outros mundos – fosse coberta com lâmpadas incandescentes, embalada em conjunto, de modo a formar uma folha contínua de luz. Seria necessário, pelo menos, cem milhões de cavalos de potência para iluminar esta área de lâmpadas, e esta, muitas vezes é a quantidade de energia motriz agora a serviço do homem em todo o mundo. Mas com os novos meios, propostos por mim, posso facilmente demonstrar que, com uma despesa não superior a dois mil cavalos de potência, os sinais podem ser transmitidos para um planeta como Marte com tanta exatidão e certeza como nós, agora, enviamos mensagens por um fio de Nova York a Filadélfia. Estes meios são o resultado da experiência longa e continuada e a melhoria gradual.
Cerca de dez anos atrás, eu reconheci o fato de que para transmitir correntes elétricas a uma distância que não era de necessária empregar um fio de retorno, mas que qualquer quantidade de energia podia ser transmitida por meio de um único fio. Eu ilustrei este princípio em numerosas experiências, que, naquela época, obtive atenção considerável entre os cientistas.
Meu próximo passo foi usar a própria terra como meio para conduzir as correntes, assim dispensando fios e todos os outros condutores artificiais. Então, eu fui levado ao desenvolvimento de um sistema de transmissão de energia e de telegrafia sem o uso de fios, que eu descrevi em 1893. As dificuldades que encontramos no início das transmissão de correntes através da terra eram muito grandes. Naquela época, eu tinha em mãos um único aparelho comum, que percebi ser ineficaz, e concentrei minha atenção imediatamente nele, após aperfeiçoar máquinas para um efeito especial. Este trabalho consumiu anos, mas finalmente venceu todas as dificuldades e consegui produzir uma máquina que, para explicar o seu funcionamento em linguagem simples, se assemelhava a uma bomba de ação, sugando a eletricidade da terra e conduzindo-a de volta para a mesma em uma enorme velocidade, criando assim ondulações ou perturbações que, se espalhando pela Terra, como através de um fio, pode ser detectada a grandes distâncias por circuitos de recepção cuidadosamente afinados. Desta maneira fui capaz de transmitir até uma distância, não só os efeitos fracos para fins de sinalização, mas quantidades consideráveis de energia, e descobertas posteriores me convenceu de que eu, em última instância eu obteria sucesso na transmissão sem fios, para fins industriais, com alta economia, e a qualquer distância, no entanto enorme.

Experiências em Colorado….
Para desenvolver essas invenções, fui ao Colorado onde continuei minhas investigações ao longo destas e outras linhas, uma dos quais, em especial, considero agora de importância ainda maior do que a transmissão de energia sem fios. Eu construí um laboratório em Pike’s Peak. As condições do ar puro das montanhas de Colorado mostrou-se extremamente favorável para as minhas experiências, e os resultados foram muito gratificantes. Achei que poderia não só realizar mais trabalho, fisicamente e mentalmente, do que eu poderia, em Nova York, mas que os efeitos elétricos e mudanças eram mais facilmente e nitidamente percebidas. Há alguns anos, era praticamente impossível produzir faíscas elétricas vinte ou trinta pés de comprimento; mas eu produzi alguns mais de cem pés de comprimento, e isto sem dificuldades. As taxas de movimento elétrico envolvidas em fortes aparelhos de indução tinha medido algumas centenas de cavalos de potência, e eu produzi movimentos elétricos de taxas de 110 mil cavalos de potência. Antes disso, as pressões elétricas insignificantes foram obtidos, enquanto alcancei cinquenta milhões de volts.As ilustrações que acompanham, com os seus títulos descritivos, tiradas de um artigo que escrevi para o “Century Magazine,” pode servir para transmitir uma ideia dos resultados que obtive nas direções indicadas.
Muitas pessoas em minha própria profissão já se perguntaram, o que eu estou tentando fazer. Mas o tempo não está longe agora, quando os resultados práticos do meu trabalho serão colocados diante do mundo e sua influência será sentida em todos os lugares. Uma das consequências imediatas será a transmissão de mensagens sem fios, sobre o mar ou terra, a uma distância imensa. Eu já demonstrei, por meio de testes cruciais, a praticabilidade de sinalização por meu sistema de um para qualquer outro ponto do globo, não importa quão remoto, e vou logo converter os descrentes.
Tenho todas as razões para mim mesmo que, ao longo destes experimentos, muitos dos quais eram extremamente delicados e perigosos, nem eu nem nenhum dos meus assistentes receberam qualquer ferimento. Ao trabalhar com essas oscilações elétricas, poderosos fenômenos extraordinários ocorrem às vezes. Devido a alguma interferência das oscilações, verdadeiras bolas de fogo são capazes de saltar a uma grande distância, e se qualquer um fosse dentro ou perto delas, seria destruído instantaneamente. Uma máquina como eu usei poderia facilmente matar, em um instante, trezentas mil pessoas. Observei que a tensão sobre os meus assistentes estava mostrando, que alguns deles não suportavam extremas tensões nos nervos. Mas estes perigos estão agora totalmente superados, e a operação de tais aparelhos, porém poderosos, não envolve nenhum risco qualquer que seja.
Como eu estava melhorando minhas máquinas para a produção de ações elétricas intensas, eu também estava aperfeiçoando os meios para a observação de efeitos fracos. Um dos resultados mais interessantes, e também um de grande importância prática, foi o desenvolvimento de certos artifícios para indicar a uma distância de muitas centenas de milhas de uma tempestade se aproximando, sua direção, velocidade e distância percorrida. Estes aparelhos são valiosos para futuras observações meteorológicas e de levantamento, e se prestam particularmente a muitos usos navais.Foi em continuar este trabalho que, pela primeira vez eu descobri esses efeitos misteriosos que suscitou tanto interesse incomum. Eu tinha aperfeiçoado o aparelho referido até agora no meu laboratório nas montanhas do Colorado. Eu podia sentir o pulso do mundo, por assim dizer, observando cada mudança elétrica que ocorreu dentro de um raio de 1.100 milhas.

Aterrorizado com o Sucesso….
Eu nunca poderei esquecer as primeiras sensações que eu experimentei quando eu percebi ter observado algo possivelmente de consequências incalculáveis para a humanidade. Eu me senti como se estivesse presente no nascimento de um novo conhecimento ou a revelação de uma grande verdade. Mesmo agora, às vezes, eu posso recordar vividamente o incidente, e ver o meu aparelho como estivesse realmente diante de mim. As minhas primeiras observações me aterrorizaram positivamente, como estava presente neles algo misterioso, para não se dizer sobrenatural, e eu estava sozinho em meu laboratório à noite; mas naquele momento a ideia desses distúrbios serem inteligentemente sinais de que ainda não se apresentar a mim.
As mudanças que eu observei estavam ocorrendo periodicamente, e com uma sugestão tão clara do número e ordem que eles não podiam ser verificados a qualquer causa, conhecida por mim. Eu estava familiarizado, é claro, com tais distúrbios elétricos são produzidos pelo sol, Aurora Boreal e correntes de terra, e eu estava tão certo que ser essas variações não eram devidas a nenhuma dessas causas. A natureza dos meus experimentos excluía a possibilidade dessas mudanças serem produzidas por perturbações atmosféricas, como tem sido afirmado por alguns precipitadamente. Foi algum tempo depois, quando um pensamento passou em minha mente que tais distúrbios que eu havia observado poderiam ser devido a um controle inteligente. Embora eu não conseguia decifrar o seu significado, era impossível para mim pensar neles como algo inteiramente acidental. O sentimento está crescendo constantemente que eu tenha sido o primeiro a ouvir a saudação de um planeta para outro. Há uma finalidade por trás desses sinais elétricos; e foi com esta convicção que eu anunciei a Sociedade da Cruz Vermelha, quando me pediram para indicar uma das grandes realizações possíveis dos próximos cem anos, que provavelmente seria a confirmação e interpretação deste desafio planetário para nós.
Desde o meu retorno a Nova York, um trabalho mais urgente consumiu toda a minha atenção; mas eu nunca deixei de pensar sobre essas experiências e observações feitas no Colorado. Estou constantemente me esforçando para melhorar e aperfeiçoar o meu aparelho, e tão logo, irei novamente retomar o fio de minhas investigações do ponto onde fui forçado a deixar por um tempo.
A comunicação com os marcianos….

No estágio atual de progresso, não haveria obstáculo insuperável na construção de uma máquina capaz de transmitir uma mensagem a Marte, nem haveria qualquer grande dificuldade em sinais de gravação transmitidas a nós pelos habitantes do planeta, se fossem qualificados. A comunicação, uma vez estabelecida, mesmo da forma mais simples, como por um mero intercâmbio de números, seria um rápido progresso em direção a uma comunicação mais inteligível. Certeza absoluta quanto ao recebimento e intercâmbio de mensagens seria alcançado assim que poderia responder com o número “quatro”, em resposta ao sinal de “um, dois, três.” Os marcianos, ou os habitantes de qualquer planeta, iria entender de uma vez que tínhamos pego a sua mensagem através do golfo do espaço e enviado de volta uma resposta. Para transmitir o conhecimento de forma por esses meios, ao mesmo tempo muito difícil, mas não impossível, e eu já encontrei uma maneira de fazê-lo.Que tremenda agitação isto faria no mundo! Quando ela virá? Levará um tempo para ser realizado e deve ser claro para todos os seres pensantes. Algo, no mínimo, a ciência ganhou. Mas espero que, em breve, minhas experiências no Oeste não sejam apenas contempladas a uma visão, mas um avistamento de uma grande e profunda verdade.

nikola tesla afirma haver vida fora
comunicação

radio

Conteúdo original: (aqui)
Tradução: Kátia Brunetti
http://about.me/katiabrunetti3
Traduzido exclusivamente para este blog.
http://fabioibrahim.blogspot.com/2015/05/nikola-tesla-conversando-com-os-planetas.html
Se for copiar e colar, mantenha o conteúdo e os créditos acima.

Tecnologia Tesla Ozônio…


Diagrama de descarga de barreira dielétrica,
o que gera um plasma que se difunde dentro
um líquido nas proximidades e mata bactérias contaminantes.

TECNOLOGIA plasma de descarga…

Diagrama de descarga de barreira dielétrica,
o que gera um plasma que se difunde dentro
um líquido nas proximidades e mata bactérias contaminantes.
descarga dielétrica-barreira (DBD) é a descarga elétrica entre dois eletrodos separados por uma barreira dielétrica isolante. O processo normalmente usa corrente alternada de alta tensão, que vão desde menor RF para freqüências de microondas.

A característica mais importante é que DBDs de condições de plasma de não equilíbrio pode ser fornecida a uma pressão elevada, por exemplo à pressão atmosférica. Em DBDs isto pode ser conseguido de uma forma muito mais simples do que com outras técnicas alternativas, como descargas de baixa pressão, rápidos pulsados descargas de alta pressão ou de injeção de feixe de electrões. A flexibilidade de configurações DBD em relação à forma geométrica, média de operação e parâmetros de funcionamento é notável. Em muitos casos, as condições de descarga otimizados em pequenos experimentos de laboratório podem ser ampliados para grandes instalações industriais. fontes de alimentação eficientes de baixo custo estão disponíveis para os níveis de energia muito elevados.

geradores de ozônio técnicos usam tubos de descarga cilíndricos de cerca de 20-50 mm de diâmetro e 1-3 m de comprimento [25, 26]. tubos de vidro de borosilicato tem por muito tempo sido o material dielétrico favorito. Eles são montadas no interior de tubos de aço inoxidável para formar aberturas de descarga anulares de cerca de 1 mm de largura radial. revestimentos de metal, por exemplo filmes finos de alumínio, dentro dos tubos de vidro servem eletrodos de alta tensão, que são contactadas por escovas de metal.

Nikola Tesla E GERAÇÃO DE OZÔNIO…

Nikola Tesla – aparelho para a produção de ozono – US Patent No. 568177

NikolaTeslaPlasmaNikola Tesla foi o maior inventor do mundo já viu. Seu cérebro fértil produziu os desenhos originais para todos os aparelhos eléctricos agora usado para transmitir energia AC, para motores, geradores, iluminação, rádio, radar, etc. A informação sobre o gênio de Tesla finalmente foi se espalhando nas últimas duas décadas, depois de décadas de supressão. Menos conhecido é o envolvimento de Tesla com ozônio.

Em 1896, Tesla foi emitida uma patente para um gerador de ozono descarga de coroa usando placas de metal carregadas para agir em ar ambiente. Ele formou a Tesla Ozone Com. Em 1900 e entrou em produção dessas unidades. Seus clientes eram naturopatas e alopatas que acolheram esta terapia poderosa em suas práticas. Respiração do ozono borbulhar através de azeite de oliva e outros óleos foi amplamente praticada no momento, e o catálogo da Sears de 1904 ofereceu uma unidade para esta finalidade usando eucalipto, pinho e óleo de hortelã. Tesla produziu um gel feito por borbulhamento de ozono através de azeite até que solidificou, e vendeu-o para os médicos.

USANDO IONIZED PLASMAS STERILIZERS tão barato PARA O DESENVOLVIMENTO NO MUNDO
Dispositivos capazes de produzir tais plasmas são baratos, o que significa que poderia ser salva-nos países em desenvolvimento, áreas de desastre ou no campo de batalha onde a água estéril para uso médico – quer entregar bebês ou cirurgia de grande porte – é escasso e caro para produzir.

Sabemos plasmas vai matar as bactérias na água, mas há tantas outras aplicações possíveis, tais como a esterilização de instrumentos médicos ou melhorar a cicatrização de feridas. Poderíamos chegar a um dispositivo para usar em casa ou em áreas remotas para substituir lixívia ou cirúrgicos antibióticos.

Plasmas de baixa temperatura como desinfetantes são uma inovação extraordinária com um enorme potencial para melhorar tratamentos de saúde no desenvolvimento e regiões sinistradas. Um dos problemas mais difíceis associadas a instalações médicas em países com poucos recursos é o controle de infecção. Estima-se que as infecções nesses países são um fator de três a cinco vezes mais difundida do que no mundo desenvolvido.

USOS para o ozono no tratamento de produtos e alimentos AGRÍCOLAS

Gerador de Água ozonizada

Microrganismos estão presentes em todos os lugares o alimento está presente e tratadas, a partir dos campos em que as culturas agrícolas são plantadas e criadas para a colheita, criação de animais e casas de nidificação para as instalações que processam as culturas e animais, às plantas de embalagem e armazenamento de alimentos. Controle de microrganismos, particularmente microorganismos patogênicos (aquelas que causam doenças em humanos e animais), é importante em todas as fases. medidas fortes são necessárias para o controlo de microrganismos. métodos de controlo da química clássica à base de compostos de cloro ou de bromo são eficazes para controlar microrganismos, mas a sua utilização pode resultar em subprodutos halogenados sendo formada e subsequentemente estes podem ser incorporados no próprio produto alimentar. Ozono, consistindo apenas de átomos de oxigênio, é uma das mais fortes disponíveis desinfectantes, e não se formam subprodutos halogenados. Além disso, o ozono pode ser aplicado no gás, assim como as fases aquosas, proporcionando benefícios adicionais de processamento. De forma única, a combinação com outros materiais de ozono (água oxigenada ou de radiação ultravioleta) produz o intermediário muito reativo, o radical hidroxilo livre, o qual é um agente oxidante mais forte do que é em si de ozono.

O ozono é tanto um agente oxidante forte, bem como um desinfectante forte. Devido a isto, ambas as vantagens (oxidação e desinfecção) pode ser conseguida durante o passo de ozonização. Ao considerar a oxidação, no entanto, é preciso também reconhecer que nem todas as substâncias oxidáveis pode ser totalmente destruído, mesmo pelo ozono, o oxidante mais forte e desinfetante disponível no mercado. Na maioria dos casos, as reações de oxidação prossiga através de etapas intermédias, que chega no CO2 e água somente quando o poluente é fornecida com uma concentração suficiente de ozono durante um período de tempo suficiente para permitir que a oxidação completa (mineralização).

Este ponto é muito importante no tratamento de alimentos, que são de natureza orgânica, com ozono. O indiscriminada sobre-uso do ozônio para controlar microorganismos pode facilmente oxidar parcialmente materiais orgânicos na superfície do alimento que está sendo tratada, e pode mudar a natureza do que a superfície dos alimentos. A chave para o sucesso da aplicação de ozono para entrar em contato com alimentos é adicionar o ozono suficiente para permitir que ele cumpra a sua função específica, mas não o suficiente para causar danos ao próprio alimento. Isso exige testes e desenvolvimento de condições de ozonização para aplicar a produtos alimentares específicos.

A água é um agente de transformação essencial na agricultura e processamento de alimentos. Ele pode ser usado em muitos casos, para realizar o ozono. Desde que os alimentos contatos de água, é fundamental que ele seja o mais limpo possível. Devido aos custos sempre crescentes de tratamento de água potável, aumentando a pressão econômica está sendo colocado sobre a reutilização de processamento de água em aplicações alimentares e agrícolas. O ozônio tem uma história longa e comprovada de aplicação no tratamento de água e efluentes, e, portanto, tem muitas aplicações potenciais na agricultura e processamento de alimentos instalações. Água contendo ozônio está sendo usado em muitas plantas de processamento de alimentos atualmente para pulverizar ou lavar alimentos, e para lavar equipamentos de processamento e armazenamento.

Muitos produtos agrícolas são armazenados após a colheita, antes da embalagem e venda. ozono fase gasosa, aplicado corretamente com atenção para concentração, umidade relativa, e os tempos de exposição, pode manter os níveis de insetos baixo microorganismo e em / sobre o produto (s) durante tal armazenamento, aumentando assim a vida útil de armazenamento, mantendo a alta qualidade do produto – o que resulta em menos a perda de produto durante o armazenamento.

Um desenvolvimento recente na Suíça agrícola envolve a aplicação simultânea perto de culturas de alta tensão, pulsadas água carregada negativamente, então uma pulverização aquosa que contém ozono, seguida de radiação UV de alta energia (Steffen, 2005a, b; Arroz e Steffen, 2005). Esta abordagem estimula uma reação em plantas que crescem denominado “Systemic Acquired Resistance”. O resultado é que as plantas que crescem não precisa de ser pulverizado com produtos químicos pesticidas. aplicação periódica desta nova tecnologia Phyto3 tecnologia mantém a limpeza vegetal, livre de patógenos, sem a necessidade de sprays químicos. Isto significa que não há resíduos químicos nos produtos colhidos, e sem produtos químicos lavadas nos solos.

Os pedidos de ozono no processamento de alimentos abundam Conforme relatado na edição de julho de 2005, a revista Water Technology, especialistas da indústria dizem que o uso potencial de ozono nas indústrias de processamento de alimentos é provável que cresça ao longo do tempo, como processadores de alimentos tornam-se mais familiarizados com a tecnologia e as suas capacidades . O Electric Power Research Institute (EPRI) identificou o seguinte como algumas das aplicações emergentes:

1. Os ovos. Higienizar casca dos ovos inteiros para eliminar bactérias potencialmente patogênicas.
2. Frutas e legumes. Tratar a água de lavagem pré-processo para frutas e legumes.
3. As aves de capoeira. Higienizar aves água chiller para reduzir bactérias patogênicas potenciais e recondicionar água do excesso de reciclagem e reutilização (dentro do Departamento de diretrizes Agricultura dos EUA).
4. vinícolas. Higienizar água fria, substituindo água quente tradicional e métodos de saneamento químicos.
5. Grão. Usando o ozônio como um substituto para água clorada para controlar bactérias e fungos no processamento de grãos.
6. Peixes. Tratamento de água em tanques de aquicultura reduz significativamente a formação de espuma, mesmo sem a purificação da água.
7. Frutos do mar. Usando ozono para aplicações de processamento de frutos do mar, incluindo a depuração de moluscos, bombas de peixe, barras de pulverização de linha de lombo e tanques de surimi de mistura.

OZONE GENERATION AND APPLICATION RESEARCH 

Ozone Generation by Pulsed Streamer Discharge in Air

Characteristics of Ozonizer Using Pulsed Power
Characteristics of Ozone Production by Using Atmospheric Surface Glow Barrier Discharge
An Ozone Reactor Design With Various Electrode Configurations
Pulsed Discharge Plasma for Pollution Control
Ozone Generation Characteristics Using a Rotating Electrode
Application of Coaxial Dielectric Barrier Discharge for Potable and Waste Water Treatment (M. M. Kuraica)
Dielectric Barrier Discharge, Ozone Generation, And Their Applications (Jose L. Lopez)
FUNDAMENTALS AND APPLICATIONS OF DIELECTRIC-BARRIER DISCHARGES (U. Kogelschatz)
Studies on the Use of Ozone in Production Agriculture and Food Processing
NIKOLA TESLA – APPARATUS FOR PRODUCING OZONE – US PATENT No. 568,177 
THE NIKOLA TESLA INSTITUTE, BRASÍLIA

Fonte: http://institutotesla.org/TeslaOzone/

 

Nikola Tesla e a partícula de Deus…

god_particle
Na busca para o Elusive “bóson de Higgs” Einstein não estava sozinho… 

Foi em 1976, enquanto eu estava no meio de seguir outra história, na Biblioteca Pública de Nova York, quando eu descobri o nome de Tesla, pela primeira vez. Foi alegado, em um livro sobre avatares, que Tesla tinha nascido em outro planeta. Ele havia desembarcado nas montanhas da Iugoslávia em 1856 para dar-nos seres humanos o motor de indução, fluorescentes e luzes de néon, comunicação sem fio, controle remoto, robótica, e todo o nosso sistema de energia elétrica. O que imediatamente me impressionou foi que tinha este homem fez tudo isso, com certeza eu teria ouvido seu nome antes, mas eu não tinha.

Eu, então, ler a biografia de O’Neill sobre Tesla e tem seu livro de patentes. A partir desse material eu era capaz de verificar que Tesla na verdade era o verdadeiro McCoy, ou seja, o inventor fundamental por trás de todas estas criações de alta tecnologia! Assim, ele tornou-se o tema da minha tese de doutorado. Eu queria saber como tal indivíduo importante poderia ter sido caiu de livros de história, e este trabalho foi transformado em Assistente de biografia: The Life & Times of Nikola Tesla, um livro agora em sua impressão XIV, traduzida em quatro línguas com mais de 70.000 cópias impressas. Tesla não é mais um indivíduo obscuro.

No entanto, o que ficou obscuro são algumas de suas invenções ainda esotéricos e descobertas. Por exemplo, seu carro elétrico supor que deriva seu poder por meio de wireless, a sua descoberta dos raios cósmicos que viajam a velocidades superiores a 50 vezes a velocidade da luz, uma máquina de raios cósmicos que deriva uma quantidade ilimitada de energia da atmosfera, um documento de 300 páginas em sua turbina bladeless que ninguém foi capaz de localizar, obter mais informações sobre a sua arma de feixe de partículas ultra-secreta, e as implicações de sua teoria dinâmica muito-bem escondido da gravidade.

A escrita da biografia Tesla, que levou 14 anos de trabalho diário, envolveu viagem para cada grande arquivo de Tesla conhecido de Nova York e Massachusetts, a Washington DC; Berkeley Califórnia para Belgrado Sérvia; assiduidade e participação como palestrante em uma dúzia ou mais conferências internacionais Tesla realizada em Colorado Springs; no local da sua torre de Wardenclyffe, em Long Island, Nova York; Croácia; Sérvia; Tempe, Arizona; Toronto, Canadá; e Niagara Falls que abrange os anos 1984-2009. E em todo esse tempo, ter assistido a todas essas conferências, e no cumprimento de todos os grandes especialistas Tesla do mundo, ninguém, até onde eu sabia, tinha realmente compreendido teoria dinâmica de Tesla de gravidade, nem as suas implicações.

Foi apenas nos últimos quatro anos, desde a escrita de Transcendendo a velocidade da luz, que eu vim para apreciar plenamente a teoria de Tesla. Minha fonte começa com uma única instrução Tesla fez ao repórter conhecido New York, Joseph Alsop, com a idade de 78, quando o inventor foi “levou à conclusão inevitável de que organismos como o Sol está a tomar sobre a massa muito mais rapidamente do que eles estão se dissipando-lo pela dissipação de energia em calor e luz “(” feixe para matar a 200 milhas, as reivindicações de Tesla “, Joseph Alsop, New York Times, 11 de julho, 1934). Mesmo que eu incluiu esta citação em Wizard, (p. 424), eu não entender completamente o que Tesla estava tentando dizer. Ele levou quase uma década para descobrir isso.

A princípio, parece absurdo que um corpo tão quente como o Sol estaria absorvendo mais energia do que estava irradiando, ea única razão que eu originalmente deu qualquer crédito foi porque Tesla disse ele. No entanto, quanto mais eu pensava sobre isso, mais ela se torna óbvia. É claro que as estrelas estão absorvendo mais energia do que eles estão irradiando. Caso contrário, iriam queimar de forma bastante rápida.

Eu ainda não tinha, no entanto, ligada esta declaração para a ideia de “gravidade”, ou mais precisamente, a teoria dinâmica não-revelado de Tesla da gravidade.

A próxima dica tinha a ver com críticas à teoria da relatividade de Einstein, que ele publicou em uma série de artigos em meados da década de 1930 de Tesla. A principal crítica de Tesla tinha a ver com a ideia de Einstein da curvatura do espaço:

“Em um corpo tão grande como o sol, que seria impossível para projectar uma perturbação deste tipo [por exemplo, programas de rádio] a qualquer distância considerável, excepto ao longo da superfície. Pode-se inferir que estou aludindo à curvatura do espaço deveria existir de acordo com os ensinamentos da relatividade, mas nada poderia estar mais longe minha mente. Eu sustento que o espaço não pode ser curvado, pela simples razão de que ele não pode ter propriedades. … Para dizer que na presença de grandes massas espaço torna-se curva é equivalente a afirmar que algo pode agir sobre o nada. Eu, por exemplo, recusar-se a assinar um tal ponto de vista. “Nikola Tesla, ‘Radio Pioneer Engineer dá uma vista sobre o poder,” New York Herald Tribune, 1932/09/11

Este acaba por ser um processo muito complexo, mas como qualquer grande ideia, ele começa com uma premissa fundamental simples.

https://i1.wp.com/farm6.static.flickr.com/5284/5256953530_59ddea7c34.jpg

Como o título do meu livro sugere, tem que haver algo de errado com a teoria da relatividade de Einstein, porque estou levantando a hipótese de que algo pode viajar mais rápido que a velocidade da luz, e que violaria a relatividade. Vamos começar com a física clássica. Como um jovem, um dos meus autores favoritos das ciências da era George Gamow, que acontece de ser um dos fundadores da física quântica. Em seu livro de bacias hidrográficas 30 anos que sacudiu Física, que relata o que estava acontecendo dentro do seu campo como ele a viveu, Gamow diz algo surpreendente. Nas páginas 120-121, Gamow diz ao leitor que, na década de 1920, no processo de medição da velocidade de rotação do elétron, Goudsmit e Uhlenbeck descobriu que a taxa foi de 1,37 vezes a velocidade da luz!

Como Gamow nos diz, este não violar qualquer princípio na física quântica; o que violou foi a teoria da relatividade de Einstein. Assim, os físicos do dia teve um problema, porque a relatividade havia se tornado seu novo bebê. Entretanto, o que não era bem conhecido eram duas coisas sobre vistas de Einstein e sua teoria:

1. Einstein não acabar com o éter onipresente. Se fótons, ou partículas de luz, viajou mais como balas do que ondas, dizer a partir do Sol à Terra, então eles não teriam que ir através de um médium. Einstein enfatizou esse aspecto partícula semelhante a do fóton, mas ele também sabia que também operou como uma onda. Isso resultou na suposição errada de que Einstein tinha abandonado teoria do éter. Na verdade, ele não tinha; ele simplesmente disse que, pela sua natureza, não poderia ser detectado. Como observa Walter Isaacson em sua nova biografia Einstein (. 2007, p 318), Einstein escreveu a Hendrik Lorentz em termos explícitos que o éter fez, de fato, existir; e em 1920, ele fez um discurso sobre o éter na Universidade de Leiden.

2. Roland Clark aponta em sua biografia anteriormente Einstein (1971, p. 78) que o próprio Einstein disse que se o éter poderia ser detectado, em seguida, a relatividade deve estar errado.

Então, claramente, Einstein tinha um interesse em manter o éter não-detectável. Mas, ao mesmo tempo, Einstein, nos últimos 30 anos de sua vida, estava comprometido com o que chamou de Grande Unificação, a capacidade de unir todas as quatro forças do universo em uma força primordial ou paradigma inter-relacionados matemática. Os quatro forças são como se segue:

  • força nuclear forte, a força de ligação para o núcleo (mantém o núcleo unido)
  • força nuclear fraca detém nêutrons juntos (liga prótons com os elétrons dentro do núcleo)
  • Electromagnetismo liga átomos e moléculas juntos (a partilha de fótons por partículas elementares)
  • A gravidade mantém sistemas planetários em conjunto (resultados em dar importa sua massa).

Os físicos têm, até à data, combinado os três primeiros, mas a gravidade continua a ser o defensor. Não é um exagero dizer que Einstein passou a maior parte de sua carreira adulta tentando combinar a gravidade com o eletromagnetismo, mas ele nunca foi capaz de fazer isso; assim, para este dia, Grande Unificação continua a ser o unachieved Santo Graal.

Voltando ao Goudsmit da e descoberta de Uhlenbeck, Paul Adrian Dirac descobriu uma maneira de contornar o problema. Como explicado por Gamow, Dirac decidiu usar o número imaginário i, ou a raiz quadrada de um negativo para representar a velocidade orthorotational taquiônico do elétron. Ao utilizar este número imaginário, a relatividade não seriam violados. Relatividade poderia agora ser combinada com a física quântica. Assim, através desta manobra matemática, todos os problemas entre as duas teorias foram substituídas e Dirac foi premiado com um Prêmio Nobel por seus esforços.

Então, como eu vê-lo, os elétrons, de fato, girar mais rápido do que a velocidade da luz, mas se nós (isto é, os físicos) usar um número imaginário, este fato pouco está bem contornadas e teoria de Einstein pode permanecer inviolável.

Tesla, contudo, nunca abandonou o éter. Nenhum dos dois, vimos, fez Einstein (ou Lorentz), mas ninguém escreve sobre ele; e o éter manteve-se o elefante na sala por mais de um século.

Digite físico teórico Peter Higgs. Nascido em 1929 e educado em Cambridge, agora um físico teórico da Universidade de Edinburg, Higgs especularam que havia um campo que tudo permeia, chamado o campo de Higgs, que permeia todo o espaço e dá importa sua massa. Este campo é composta de bósons de Higgs, que seriam pequenas partículas que se ligam este campo para importa.

Soa muito como éter para mim. Na verdade, se você cavar duro o suficiente, torna-se bastante evidente que o que Higgs fez foi reformular, renomear ou reformular o éter em um termo que foi palatável para os físicos regulares; mas não se enganem, o que ele está falando é éter, pura e simples. Este bóson de Higgs, ou partícula de ligação, também tem sido apelidado de partícula de Deus, a partícula que dá importa sua massa. Esta é a partícula que os físicos estão procurando agora com a sua super-colisor em Berna, na fronteira suíço / francês. No entanto, você pode apostar, eles não estão à procura de uma partícula ou forma de energia que está operando em um reino taquiônico, ou seja, em velocidades acima da velocidade da luz.

23273Agora, vamos voltar para Tesla e sua citação acima. Começando com a primeira frase sobre dirigir uma perturbação em torno da superfície de um grande corpo, o que Tesla está realmente falando aqui é de dois conceitos relacionados. A primeira é a ligação à terra em transmissão de rádio. A segunda é por isso que há a necessidade de a ligação à terra. Na verdade, o que Tesla tinha perfeitamente feito, em última análise, ao longo de toda a sua vida, foi cuidadosamente obscura a razão pela qual as emissões de rádio seguem a curvatura da Terra (siga a ligação à terra). A resposta tem a ver com a única frase ele revelou a Alsop, em 1934; ou seja, que o Sol estava absorvendo mais energia do que estava irradiando.

Isso, em poucas palavras, é a teoria dinâmica de Tesla da gravidade. Toda a matéria é constantemente absorvendo éter todo o tempo com a velocidade taquiônico de 1,37 vezes a velocidade da luz. Este é o mundo de éter. Por sua natureza, o éter existe em um reino que transcende a velocidade da luz.

Então, o que, em seguida, é a gravidade de acordo com essa teoria? A gravidade é simplesmente a absorção de éter por, por exemplo, a terra. A razão por que cair de volta para a terra quando saltar para cima não é por causa de alguma força misteriosa chamada desconectada gravidade; caímos de volta para a Terra porque estamos no caminho do influxo de éter. Isso é o que é a gravidade. É a absorção de éter pelas partículas elementares. É o esquivo bóson de Higgs, ou partícula de Deus, a força / processo que dá importa sua massa. E isso acontece de uma maneira contínua o tempo todo.

É por isso que as emissões de rádio seguir a curvatura da terra. À medida que a onda se propaga, é empurrado para a terra pela gravidade, se você, por este fluxo constante de éter. Assim, de acordo com esta teoria, as partículas razão de luz dobrar em torno de estrelas e corpos planetários não é porque o espaço é curvo, mas porque esses fótons estão sendo afetados por este afluxo constante. Esta teoria especula ainda que os fótons não são realmente sem massa, sua massa seria equivalente a constante, um pequeno fator de Planck, que Planck teve que adicionar a todos os seus cálculos para fazê-los funcionar. Se fótons têm energia, e se a energia e a massa são equivalentes, então, por definição, os fótons devem ter massa.

Agora, para resolver o sonho de Einstein. Seu objetivo, lembramos, era combinar a gravidade com o eletromagnetismo. A razão pela qual ele não poderia fazê-lo era porque fazê-lo implicaria ressuscitar um éter detectável; e se fosse esse o caso, então, como o próprio Einstein afirmou, sua teoria da relatividade seria errado. A gravidade é o influxo de éter pelas partículas elementares é o processo que dá matéria sua massa, a chamada partícula de Deus. Este processo ocorre em 1,37 vezes a velocidade da luz. Como cada partícula elementar absorve éter, acontecem duas coisas-o processo permite ou auxilia a partícula de continuar a girar e, simultaneamente, a energia é convertida em electromagnetismo. Éter entra, faz com que os elétrons e outras partículas elementares a girar, e, nesse processo, os átomos mantêm a sua integridade e converter o fluxo constante para o eletromagnetismo, ou seja, Grande Unificação.

Marc J. Seifer, Ph.D. é o autor de WIZARD: The Life & Times of Nikola Tesla (Citadel Press) e transcendendo a velocidade da luz, consciência, Física Quântica e a 5ª Dimensão (Inner Traditions). Para uma biografia completa, você tubos, e uma lista de suas obras, por favor visite seu site: marcseifer.com. literalmente 14 anos de trabalho diário

Fonte:http://nexusilluminati.blogspot.com.br/2012/02/nikola-tesla-and-god-particle.html
De Atlantis Rising @ http://atlantisrisingmagazine.com/2010/09/01/nikola-tesla-the-god-particle/

Maior segredo de Nikola Tesla, Energia Escalar…

O Segredo Final …Energia Livre das ondas escalares.

Estou orando para o sucesso deste empreendimento e no final do ocultação absurdo e criminoso ao público desta tecnologia por pessoas na indústria militar. Este segredo tem custado o mundo mais de 30 anos de poluição desnecessária.

Temos esperança de que podemos começar a introdução no mercado muito em breve. temos trabalhado muito à favor da conscientização de massas deste benéfico uso de energia livre, e se unir a esse movimento para conseguirmos sucesso para um mundo mais sustentável.  Sabemos que a energia livre é uma ameaça para a ordem mundial construída pelos negócios e os objetivos de quem deseja possuir o mundo. Energia “contas gratuitas para o homem, aspirações e sonhos de liberdade e igualdade, o uniforme de recursos e a capacidade de escolher cada própria divisão futuro.” O fato de que a energia livre está escondido fala de ganância e o interesse de uma elite dominante que, mesmo em uma fome mundial de emergência, o esgotamento dos recursos e poluição ambiental, não vai dar uma polegada se isso significa perda de controle. Esta é uma atitude de esperança e fantasia paranóica que só pode surgir a partir da alienação de uma classe de elite que, através de seu dinheiro, está completamente isolado da realidade do dia a luta do dia para a existência do homem comum “.

Ondas de energia recém-descobertos. O energia EM longitudinal (eletromagnética) preenche o espaço vazio, no domínio do tempo, o espaço-tempo, tempo comprimido e energia, E = TC2, ondas do tempo, os pares de fase da onda conjugado.

“A energia elétrica está em toda parte presente em quantidades ilimitadas e podem conduzir máquinas do mundo sem carvão, petróleo, gás, ou qualquer um dos combustíveis comuns”. ~Nikola Tesla~

A Natureza da Energia…

Toda forma de energia que conhecemos na natureza tem a propriedade de se comportar ora como partícula ora como onda. A forma de onda de todas estas energias pode ser representada graficamente como uma onda hertziana (sob a forma de uma onda de seno).

Estas ondas hertzianas são a base do espectro eletromagnético que inclui todas as formas de radiação eletromagnética – raios gama, raios X,ultravioleta, luz, infravermelho, som, radio, TV,etc. O que diferencia estas radiações são a frequência e a amplitude. Podemos entender a frequência como o numero de ciclos por segundo a onda tem, ou seja quão rápido estas ondas sobem e descem. Podemos entender a amplitude como a altura máxima destas ondas, ou seja,quão intensas são essas quedas e ascensões.
Além das ondas hertzianas, existe também o conceito de ondas escalares. A identificação das ondas escalares foi mencionada em 1899 por Nikola Tesla. A energia escalar, entretanto,é um tanto diferente. A energia escalar sempre existiu – desde o começo dos tempos,entretanto, ela vem sendo renegada pela ciência acadêmica. Na verdade nos idos de 1800 a existência da energia escalar foi proposta na consolidação das leis do eletromagnetismo pelo matemático escocês, James Clerk Maxwell.


Energia Escalar….

Embora isto seja um tanto técnico, o mais importante destas equações é o símbolo ρ que representa a densidade escalar assim representando a primeira vez que a existência da energia escalar foi teoricamente proposta.

Foi quase meio século mais tarde, no inicio do século XX, Nikola Tesla pôde realmente demonstrar a existência de energia escalar. Em homenagem a este grande cientista a unidade do Sistema Internacional de Unidades para indução magnética tem o seu nome. Entretanto esta descoberta tem sido mantida em segredo. Recentemente, quase um século depois a ciência mais uma vez tem tido a oportunidade de demonstrar positivamente a existência da energia escalar e se voltar a exploração de seu potencial.

 

O que são campos escalares….

A definição padrão de ondas escalares é de que são criadas por um par de ondas idênticas (ou replicantes) (nomeadas geralmente de onda e anti-onda) que está na fase espacial e fora da base temporal. Equivale dizer, que as duas ondas são fisicamente idênticas, mas 180° fora da fase em termos de tempo. O resultado é que ondas escalares são completamente diferentes das ondas hertzianas normais.

Energia escalar e Tecnologia diária…

A vida moderna é difícil sem o conforto de «tecnologia»; telefones celulares, computadores pessoais e outros dispositivos eletrônicos são “necessárias”, mas com altos riscos para a nossa saúde. O uso generalizado de tecnologias que irradiam electromagnéticas Frequências (Frequency EMF- eletromagnética) e frequências extremamente baixas (ELF-frequência extremamente baixa) bombardeiam constantemente o corpo humano, afetando a “bio-campo” de pessoas de uma forma muito perigosa. Os cientistas estimam que a radiação média diária EMF exposição é de 100 milhões de vezes maior do que em gerações anteriores! .

“Poluição eletromagnética pode ser a contaminação mais perigoso da atividade humana … produziu neste século, porque é invisível e insensível.” Dr. Andrew Weil,

Um telefone celular emite 2500-3000 milivolts em média. O corpo humano funciona como uma antena para as ondas electromagnéticas produzidas por impulsos eléctricos de corrente alternada, a maioria dos 50 a 100 kHz.

Ao longo do tempo, diversos pesquisadores atribuíram nomes diferentes a energia escalar: Magnetismo Animal(Mesmer), força ódica (von Reinchenbach), orgone (W. Reich), energia radiante (Tesla), energia eloptica (Hyeronimous), entre outros. A energia escalar é também a energia que os chineses chamam de Ch’i,os japoneses de Ki e os hindus de prana.

A energia escalar é um tipo de energia que foi descoberto e trabalhado de forma prática no inicio do século XX, por Nikola Tesla. Quando Tesla morreu, o governo dos Estados Unidos se apoderou de seus trabalhos e pouco se soube sobre o assunto. Entretanto o Ten-Cel americano Thomas Bearden trouxe a publico diversos equipamentos desenvolvidos na Rússia com fins militares utilizando a energia escalar

Energia EscalarTodos os campos eletromagnéticos são campos de força de energia, capazes de produzir ações e reações remotamente. Estes campos têm características de ondas e partículas. Uma corrente eléctrica fluir em um fio ou bobina produz o seu próprio campo magnético.

TESLA

Estudos têm mostrado que a energia escalar é uma proteção contra a poluição eletrônico.
Quando duas frequências similares de sentidos opostos se encontram, eles se anulam mutuamente. Isso resulta em uma forma de energia estacionária ou acoplamento chamada energia escalar.

energia escalar

 

EE não irradiam ondas, mas se expande para fora em círculos de energia que ocupam o espaço. Esta massa não é um espaço vazio, mas inclui um campo de sistemas de energia que está vivo, vibrante e dinâmico campo de energia radiante redes de energia harmoniosamente equilibrado. Scalar energia não pode ser medida por instrumentos contemporâneos de medição frequências, como mostrado, sem frequências. Esta forma de energia é estático; É uma forma de energia estacionária.

A energia escalar(EE) podem ser criados naturalmente e sempre existe no universo. Ao aplicar as condições exigidas, a energia escalar pode ser criado artificialmente.

Características EE:
. Não linear;
. não hertzianas;
. O campo-como círculos de energia;
. Encha o ambiente;
. Ele gera um campo de energia estática ou estacionária.

Características das ondas Electromagnéticas:
. linear;
. hertz;
. Ela se expande ao longo das ondas;
. As ondas viajam através do ambiente;
. Ele não é estática.
Clerck Maxwell (1831-1879) desenvolveu uma teoria unificada que combina eletricidade, magnetismo e luz, apresentando uma equação revolucionário que revelou a existência de energia escalar que viaja à velocidade da luz
Rudolf Hertz (1857-1894) deu um passo mais perto de fazer um dispositivo elétrico que mede o eletromagnetismo
Albert Einstein (1879-1955) Esta mesma energia, referindo-se a esta onda como uma energia sutil que não pode ser medido, Einstein se concentrou mais em energia de fusão. 

Nicola Tesla (1856-1943) colega e inventor da eletricidade de Einstein, a pesquisa continuada sobre a energia escalar;
Um pioneiro em energia de fusão; Ele tentou fornecer eletricidade livre de energia escalar aproveitando o natural do núcleo da terra Sua realização é a geração de energia cai hidrelétrica.

vaso cuantico

Benefícios da energia escalar….
Revitaliza a Biofield Humano
Proteger e evitar a radiação de ondas electromagnéticas
Promove células não sobreacumulamiento
Melhora a circulação sanguínea
Aumento da Energia
Melhora o sistema imunológico e endócrino
Ele é capaz de destruir vírus e bactérias
Retarda o processo de envelhecimento
aumenta a concentração
Melhora a nutrição celular e desintoxicação
Melhorar a qualidade do sono
Reduzir os níveis de estresse
Protege DNA celular contra danos por aumento da energia das ligações de hidrogênio.
Os ingredientes ativos são parte de mais de 70 minerais naturais diferentes extraídos de rochas vulcânicas que se recombinam com os métodos de nanotecnologia e de fusão de calor. Eles consistem de um revolucionário material minerais que estão imbuídos de energia de vida que é benéfico para a função de corpo e circulatório do sangue. Criado a partir de partículas minerais técnicas de engenharia natural, que são especialmente qualificados para isolar certas partículas ou radiação. A combinação de minerais e técnicas de fusão produz uma conversão catalítica de energia, escala de comprimento de ressonância natural que tem a capacidade de renovar a estrutura molecular.
Atinge uma questão de entre 2.500 e 4.500 íons negativos que produzem energia, penetrando entre 2 e 4 polegadas no corpo humano, conseguindo água e comida também estimulam mais rápido. Você pode obter um nível de energia de 2.500 íons negativos apenas estar perto de cachoeiras, praias ou cavernas.

Níveis elevados de íons positivos (encontrado dentro de casa com TV, computadores iluminadas, ambientes quentes, com ar seco e ambientes poluídos, entre outros) causar sentimentos de fadiga, desconforto ou depressão.

Energia escalar no Corpo…
Energia escalar Sangue…

O “antes” mostra que as células são agrupadas sem espaços plasma e fluxo restrito.
Depois de apenas 10 minutos com energia escalar, as células aparecem separados, classificados e arredondado, com espaços de plasma e um melhor fluxo. Melhoria imediata lá da circulação do sangue, desintoxicação celular e regulação dos níveis de açúcar no sangue

Energia escalar na água…

No clara energia escalar água destilada. Ele não tem forma ou cristalina estrutura organizada.

Energia escalar Mesmo com água destilada. Cristais de água que se formam são muito bem estruturados; cristais hexagonais

Além das ondas hertzianas, existe também o conceito de ondas escalares.
A identificação das ondas escalares foi mencionada em 1899 por Nikola Tesla
.

A interpretação da teoria das ondas escalares entende que são:

  1. Ondas apenas com a dimensão temporal, sem dimensão espacial,
  2. Não possuem frequência;
  3. Não sofrem atenuação em relação ao espaço;
  4. Possuem velocidade maior do que a da luz, e
  5. atravessam qualquer objeto sólido, inclusive gaiolas de faraday.

Em sua maior parte o conceito de ondas escalares é utilizado por holísticos, e psicólogos, como uma energia atemporal formadora da consciência, e situada em dimensões quânticas, além da terceira dimensão. A partir dos conceitos de ondas escalares, surgiram rumores de sua utilização como armas de guerra e armas de manipulação cerebral.

Basicamente, as ondas escalares são pulsos de elétrons comprimidos em um meio longitudinal. E enquanto elétrons, podem ser percebidos por um receptor elétrico. O maior erro dos interpretadores das ondas escalares, é o erro básico do próprio Tesla.
Como não possuem frequência, as ondas escalares não podem ser utilizadas para individualizar cérebros específicos, e dessa forma, não podem ser utilizadas como tecnologia de controle cerebral remoto.

A única forma de se utilizar as ondas escalares como um meio de se manipular cérebros a distância é utilizando implantes e microchips, e com isso a tecnologia deixa uma evidência no corpo da vítima que pode ser identificada por exames de raio-x e dessa forma rastreada.

Como não possuem frequência, qualquer aparelho receptor, dentro de uma gaiola de faraday, pode identificar a existência da onda, veja como construir um detector de ondas escalares.
Dentro de uma sala blindada, se o detector de ondas escalares identificar a presença dessa onda, e o analisador de espectro de radiofrequência não indicar qualquer outra onda dentro da blindagem de RF, basta utilizar um bloqueador de ondas escalares. Esse bloqueador pode ser físico, como um cobertor envolta da blindagem de RF, ou pode ser eletrônico, através de um gerador de campo elétrico que bloqueiem ou anulem os pulsos concentrados de elétrons.
Com isso todas as formas de manipulação cerebral a distância podem ser evitadas, pois todas utilizam energia eletromagnética em sua concepção. Vale lembrar que muitos alegam que o projeto Haarp trabalha com ondas escalares. 

As ondas escalares, enquanto elétrons comprimidos, podem ser direcionados a um local específico gerando força suficiente para provocar terremotos, e erupção vulcânicas. Contudo a utilização de ondas escalares como ferramenta de manipulação cerebral depende de implantes de microchips, uma vez que, sem frequência, as ondas escalares não podem individualizar um cérebro específico. E os implantes podem ser detectados em imagens de raio-x.
Além disso, não há forma de se implantar microchips não detectáveis. Em um exercício de imaginação pode-se pensar em
implantes não detectáveis  através da utilização de clones de neurônios para a construção de redes neurais artificiais sensíveis às ondas escalares inseridas no cérebro.
Com isso, sem componentes eletrônicos, o implante seria, a princípio não detectável, mas isso é ficção científica ainda, e de qualquer forma, as ondas escalares podem ser detectadas e bloqueadas, o que se constitui em um esforço de controle cerebral predestinado ao fracasso.

“Ondas escalares são produzidos quando duas ondas electromagnéticas com a mesma frequência são exatamente fora de fase (em frente ao outro) e as amplitudes subtrair e cancelar ou destruir uns aos outros. O resultado não é exatamente uma aniquilação de campos magnéticos, mas uma transformação da energia de volta para uma onda escalar. Este campo escalar foi revertido para um estado de vácuo de potencialidade. ondas escalares podem ser criados por envolvimento fios eléctricos em torno de uma figura de oito na forma de uma bobina möbius. Quando uma corrente eléctrica flui através dos fios em sentidos opostos, os campos electromagnéticos opostas dos dois fios anular-se mutuamente e criar uma onda escalar “.

“A antena DNA em centros de produção de energia de nossas células (mitocôndrias) assume a forma do que é chamado de super-bobina. DNA Supercoil parecer uma série de bobinas de Möbius. Estes DNA möbius supercoil são hipoteticamente capazes de gerar ondas escalares. A maioria das células no corpo conter milhares destes supercoils Möbius, que são geradores de ondas escalares em toda a célula e por todo o corpo “.

OBSERVAÇÕES RELÂMPAGO Tesla COLORADO SPRINGS…

Como pode ser visto a partir de uma perspectiva atual dia, o tempo que Nikola Tesla investido em sua 1,899 Colorado “expedição” parece ter sido um pouco de sua mais produtiva. Isso pode ser porque ele tinha considerado os últimos dez anos de pesquisa como prática para o trabalho que estava sendo realizado no já bem conhecido Estação Experimental. Ou talvez seja a partir das muitas observações registradas datam deste período, o grupo de patentes importantes apareceria ao longo dos próximos anos. Na verdade, o trabalho sobre os pedidos de tais patentes de rádio fundamentais começou quando Tesla ainda estava no Colorado. Uma conta principal que está relacionada nas Notas Colorado Springs e em um artigo intitulado “a transmissão de energia elétrica sem fios,” tem a ver com um fenômeno de rádio naturais incomuns que Tesla observados durante e depois de uma tempestade intensa que passou perto pelo seu laboratório Colorado.

O receptor que ele utilizado parece ter construído em torno de um transformador oscilatório similar ao tipo utilizado para a iluminação de alta frequência. (Veja Nikola Tesla: Palestra Antes da New York Academy of Sciences – 06 de abril de 1897 para obter detalhes sobre esses dispositivos.) Localizado no lado primário do transformador foram um dispositivo sensível conhecido como um coherer rotativo e um condensador de mica ambos ligados a um terminal de elevada e à terra. O lado primário do circuito também incluiu uma bateria para a colocação de uma pequena tensão DC entre os coherer e um interruptor mecânico conhecido como um “intervalo”. Durante a operação normal do dispositivo make-and-break seria abrir e fechar cerca de 72 vezes por segundo. No lado secundário do circuito foi outro coherer e bateria além de um relé delicada, que respondeu fechando cada vez que uma descarga atmosférica ocorreu na vizinhança geral. Este tipo de receptor era extremamente sensível, sendo capaz de efeitos tão distantes como um número estimado de 500 milhas a gravação.

Em 4 de Julho Tesla escreve que suas observações começou quando a tempestade se aproximava e ainda a uma distância de 80 a 100 milhas. O relé no receptor elegantemente simples deve ter começado a bater praticamente assim que todas as ligações foram feitas. Enquanto a tempestade se aproximou, o revezamento continuou a responder ao mesmo tempo que foi ajustado para a sua configuração menos sensível. Enquanto a tempestade continuou no passado, o laboratório é quando, na palavra de Tesla, “a observação mais interessante e valioso foi feito.” O relé foi novamente ajustada para ser mais sensível e continuou a responder por um tempo e depois parou. Depois de um tempo indeterminado tinha passado o relé respondeu novamente por um tempo e, em seguida, mais uma vez, deixou de jogar. Conforme registrado pela Tesla esta ação on-again off-again continuou a repetir-se com um período de cerca de 30 minutos, no mínimo seis ou sete vezes, no início da noite. Ele escreve, “a maior parte do horizonte estava claro por esse tempo.”

Um número de pessoas têm especulado sobre o que, exatamente, Tesla tinha visto que o verão há muito tempo. Uma proposta, que se colocam na revista Proceedings, da Centennial Simpósio Tesla, é que as vibrações mecânicas foram sendo detectadas que foram o resultado de interações piezoeléctricos terrestres associados aos relâmpagos. Outra teoria diz que as correntes de terra diferentes foram o resultado de ondas estacionárias criados por reflexões fora da cordilheira Pikes Peak. Tesla próprio considerava duas outras possibilidades para a criação do que ele acreditava serem ondas estacionárias ancoradas ao seu ponto móvel de origem. O primeiro e, no momento, para ele menos provável, era que eles eram o resultado de reflexões a partir do ponto da superfície da Terra diametralmente oposta à tempestade. O mais provável, em sua mente, era que resultou de reflexões que tiveram lugar dentro da própria tempestade, em um ponto muito próximo da origem dos pacotes de onda iniciais.

Em 1994, uma nova premissa foi estabelecido por Kenneth e James Corum em um trabalho apresentado no Simpósio Tesla bienal em Colorado Springs. O modelo proposto é uma adaptação da teoria de guia de onda e se baseia em um método de tratamento fontes de radiação em um guia de ondas que chama para a existência de “imagens” que espelham uma fonte dipolo assumido. Estas imagens, em combinação com a própria fonte pode ser dito para formar o que parece ser broadside matriz de elementos irradiantes. Além disso, a radiação a partir destas fontes, sendo coerente, pode interferir e fundido lóbulos laterais que aparecem como máximos e nulos ao longo das paredes de guia de onda.

Propõe-se que, em vez de registar a existência de ondas estacionárias, Tesla poderia ter sido visto um fenômeno de interferência de onda semelhante ao descrito acima. Os nós e ventres que passaram por seu ponto de observação pode ter sido devido à sobreposição de raios induzidos ondas VLF parcialmente coerentes que irradiam a partir da fonte primária e uma imagem ao lado e se propagam para baixo ao longo do guia de onda Terra-ionosfera. Este modelo tem mais do que passando semelhança com cenário preferido de Tesla que não ligou para a reflexão das ondas a partir dos antípodas. Ao mesmo tempo, é importante notar que nas especificações para Patent seu No. 787.412, Art de Transmissão de Energia Elétrica Através Natural de mídia Tesla afirmou que o relâmpago produziu ondas fornecidos “prova inequívoca de que os distúrbios criados tivesse sido conduzida desde a origem até as partes mais remotas do globo e tinha sido dali refletida … “nos dez meses curtos entre 04 de julho de 1899 e 16 de maio de 1900 data de aplicação o que causou esta tremenda mudança de opinião para onde ele agora acreditava e praticamente gravada como fato o que antes tinha sido atribuído a probabilidade menor? o próprio Tesla nos deu a resposta em 1929, quando ele escreveu:

“A principal descoberta que me satisfez completamente quanto à praticidade do meu plano foi feito em 1899 em Colorado Springs, onde eu realizado em testes com um gerador de Capacidade de 1500 KW e verificou que, sob certas condições, a corrente era capaz de passar ao longo de toda globo e retornando a partir dos antípodas a sua origem undiminished em força. foi um resultado tão inacreditável que a revelação no primeiro quase me surpreendeu “.

A análise dos Corums ‘1994 fornece-nos com um modelo físico altamente plausível para explicar observações relacionadas com raios de Tesla durante o verão tempestuoso de 1899. É também bastante evidente que naquele ano inovador experiências com um oscilador elétrico de alta potência especialmente concebido totalmente convencido de Tesla que ele estava vendo indicações de ressonância terra elétrico. Isso levanta a questão: enquanto em ele estava em Colorado Springs fez Tesla sempre observar quaisquer indicações de interferência entre as ondas de saída que foram induzidas por seu transmissor VLF experimental e ondas de entrada refletida do antípoda?

O Rotativo Coesor….

The Rotating Coherer

O coesor rotativo e circuitos associados

O receptor VLF de Tesla deve ter sido muito semelhante ao circuito ilustrado aqui. Cada um dos dois coherers C e C ‘foram construídos a partir de uma seção curta de 3/8 de polegada I.D. tubo de vidro cobertas com dois plugues de latão. O espaço intermediário foi parcialmente cheia com chips curso de níquel. A duas baterias adjacentes B e B ‘foram ajustadas com resistências R e R’ para esticar os dispositivos a um ponto em que eles estavam prestes a quebrar e se tornar a condução. Um sinal de entrada iria conduzir o potencial através do dispositivo para além do seu limite causando uma corrente da bateria muito mais forte a fluir. Um mecanismo de acionamento de relojoaria foi usada para rodar continuamente os pequenos cilindros de vidro de cohering assim as fichas depois de cada um recebeu impulso. Acredita-se agora que coherers são adequadas exclusivamente para detectar o tipo específico de fenômeno de rádio natural que Tesla observados em 1899.